A depressão no idoso

By

Ainda cercada de muito preconceito, a depressão é muito comum entre os idosos. Embora a OMS – Organização Mundial Saúde, aponte que a depressão é um dos mais altos índices do mundo, entre os idosos não há números oficiais. Psiquiatras e especialistas estimam que entre 5% e 10% sejam afetados pela doença. Só no Brasil, a depressão no idoso atinge 11, 5 milhões de brasileiros, o que representa 5,8% da população.

O primeiro passo é identificar a doença. O problema é que muitas vezes os sinais passam despercebidos, especialmente para quem tem mais de 60 anos. Muitas pessoas partem do pressuposto de que é normal o idoso ser triste, com isso, não buscam ajuda médica. Saiba que a doença pode desencadear outras enfermidades, como o risco de ataques do coração e aumento de desenvolver Diabetes tipo2, segundo o diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) e Saúde Mental da Opas*, Anselm Hennis.

Fique de olho e procure um médico.

O que é a depressão

A depressão no idoso nunca é psicológica. É provocada por um evento traumático ou uma pressão psicológica excessiva.

Sinais da doença

– Tristeza contínua, falta de vontade de fazer algo e indecisão;

– Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis;

– Dificuldade de concentração, raciocínio mais lento e esquecimento;

– Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas;

– Mudança de apetite – perda ou aumento do peso;

– Pensamentos negativos, ideia de abandono, sentimento de culpa;

– Dores e mal-estar físico sem causa conhecida;

– Insônia ou sono em excesso;

– humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia.

Fatores que podem causar a depressão:

– Solidão;

– Traumas de infância;

– Perda de pessoas próximas;

– Falta de uma atividade para ocupar o tempo, no caso da aposentadoria;

– Falta de apoio e acompanhamento familiar;

– Doenças que impossibilitam a autonomia do idoso.

Como prevenir e se curar

– Exercer uma atividade física e artística.

– Procurar ajuda médica, em primeiro lugar, especialmente psiquiatras.

– Fazer terapia.

– Participar de grupos de apoio e sociais, como excursões.

– Contar com o apoio da família e amigos.

*Com informações da Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e da Opas – Organização Pan-Americana da Saúde

7 Comentários
  1. Maria Edleusa Gomes Guimarães 2 meses ago
    Reply

    Sofro com depressão, uso medicamentos, sou acompanhada por psiquiatra, preciso voltar ao psicólogo. Infelizmente durmo tarde por consequência, acordo entre 11 ou 12 horas. É muito ruim para mim. É ruim para qualquer pessoa. Maior dificuldade é não querer assumir compromissos, pois exige cobranças. Isso me constrange! Estou participando de um grupo Envenhecer Bem, baseado na Física Quântica. É muito bom! Queria ir sem obrigação, mas não quero deixar de participar. As meditações me ajudam bastante. A mestra e amigas também. Amo.

  2. Maria de Fátima 2 meses ago
    Reply

    Tenho, tipo agudo, só para superar a gravidade,tomo remédios paliativos, acham que é frescura e me isolam, principal.elo desprezo, o que mais recebo,

  3. Zilda Cunha Gomes 2 meses ago
    Reply

    Fui casada durante 35 anos fiquei viúva aos 52 e desde então fiquei sozinha hoje aos 69 anos me sinto muito só prático esporte oque ameniza um pouco mas nos finais de semana a solidão e minha única companheira

  4. Enilda 2 meses ago
    Reply

    Meu marido está assim. Quero ajudá-lo. Ele sempre me quer junto com ele para tudo, inclusive para tomar decisões que só cabem a ele. Como incentivá-lo ?

    • centrape 2 meses ago
      Reply

      Olá Enilda. A melhor opção é procurar um pscicólogo e realizar um tratamento direcionado para ele. A busca por ajuda especializada é sempre importante.

  5. Vilma de Araujo Jorge 4 semanas ago
    Reply

    Tenho 67 anos. Perdi minha mãe e minha irmã em 18 meses. Morávamos juntas.
    Um sobrinho de 25 anos, mora comigo. Mesmo assim me sinto só. Sou professora em escola pública , comunidade Vidigal.
    Tenho sentido essa apatia, falta de energia e muita solidão. Queria participar de algum grupo. Vcs tem alguma dica ? Obrigada

    • centrape 3 semanas ago
      Reply

      Olá Vilma. Entre em contato com a nossa Central pelo 0800 770 9696 e converse com nossos atendentes, eles podem te indicar os centros da Centrape em sua cidade.

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

You may also like